POESIA: mar gelado

Atualizado: 18 de Set de 2020

O entrar no mar

O frio subindo até o umbigo.


Os que entram direto,

Os que molham os pés.


Sempre fui dos que demoram.

Passinhos pra frente, passinhos pra trás evitando a água gelada.


Se eu morasse na Bahia,

Ah que saudade da Bahia...


Molho os pulsos e pescoço ainda em tentativa.

Quem foi que inventou isso?


As cores, os sons, o suco de cajá.

Hoje não devo entrar.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo